Elétrica

80 tipos de tabela de cabos e condutores elétricos

Mardey Costa
Escrito por Mardey Costa em 20 de abril de 2022
Junte-se a mais de 15.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Você sabe pra que serve esses 80 tipos de tabela de cabos elétricos mais usados na NBR 5410?

Neste artigo, você vai descobrir para que serve e quais são os 80 tipos de tabela de cabos elétricos e condutores mais usados pela norma NBR 5410.

Portanto, se você quer aprender mais sobre esse assunto, então continue lendo esse artigo. Nele você vai aprender sobre:

E se você gostou do que vem por aí, então não deixe de compartilhar este artigo com seus amigos nas redes sociais, para que eles possam consultar estas tabelas de cabos elétricos.

80 tipos de tabela de cabos

As tabelas de cabos elétricos são muito importantes para que possamos descobrir quais são as características dos cabos e condutores.

Neste caso, estamos falando da seção do condutor, a sua capacidade de condução de corrente, a queda de tensão e outros.

Essas informações são muito essenciais para que possamos realizar o correto dimensionamento e a correta instalação destes cabos e condutores.

Para que serve a tabela de cabos

As tabelas de cabos que serão mostradas ao longo deste artigo servem para auxiliar no trabalho de projetistas e instaladores.

E também aos demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos condutores em uma instalação elétrica de baixa tensão.

Onde encontrar a tabela de cabos

A tabela de cabos pode ser encontrada nas tabelas da norma NBR 5410  como referência para instalações elétricas de baixa tensão.

Além disso, você também pode usar a tabela de cabos e condutores elétricos disponíveis no site do fabricante, como por exemplo a Prysmian.

Isso acontece porque o dimensionamento elétrico dos cabos de baixa tensão deve ser feito conforme a norma ABNT NBR 5410.

Quando usar a tabela de cabos

Neste artigo, nós iremos usar as tabelas de cabos da Prysmian para instalações elétricas de baixa tensão.

E todas as tabelas foram extraídas do Guia de Dimensionamento de Cabos Elétricos de Baixa Tensão que está disponível no site da fabricante Prysmian.

Observe que quase todas as tabelas abaixo são baseadas na norma NBR 5410 com todas as indicações das seções das normas ao longo do artigo.

Além disso, podem ser encontradas tabelas da norma NBR 13570 de 1996 para instalações elétricas em locais de afluência de público.

E também podem ser encontradas algumas tabelas da norma NBR 16690 para instalações fotovoltaicas, se necessário.

Então confira abaixo a tabela de cabos Prysmian com os tipos de condutores disponíveis para instalações elétricas de baixa tensão.

Tabela de cabos com tipos de condutores

Para facilitar o nosso entendimento, escolhemos a tabela de cabos da fabricante Prysmian para instalações elétricas de baixa tensão.

Mas se você ainda não conhece, saiba que a Prysmian é uma empresa especializada na produção de cabos para aplicações em energia e telecomunicações.

Além disso, ela é considerada uma das líderes mundiais neste setor, além de ter se tornado uma empresa de capital aberto no ano de 2007.

Mas muitas pessoas ainda o conhecem pelo nome antigo de Pirelli Cabos e Sistemas ou cabos Pirelli, confira abaixo.

Tabela de cabos e condutores Prysmian

Na imagem abaixo é possível visualizar os tipos de condutores e cabos da Prysmian, confira.

Tabela de cabos Prysmian para instalações elétricas de baixa tensão

Na tabela acima é possível visualizar que os condutores e cabos da Prysmian de baixa tensão estão disponíveis em três tipos, confira

Tabela de cabos e condutores isolados da Prysmian

Os condutores isolados são condutores que contém uma isolação ou camada de proteção no cabo.

Ela serve para proteger o condutor contra danos mecânicos e contra ataques de eventuais agentes químicos presentes no ambiente.

Neste caso temos os condutores isolados do modelo Superastic, Superastic Flex e Afumex Green.

Além disso, temos também os cabos unipolares, confira abaixo.

Tabela de cabos unipolares da Prysmian

Os cabos unipolares são os cabos que são constituídos por um único condutor isolado.

Mas diferente dos cabos isolados que citamos acima, os cabos unipolares possuem mais uma cobertura adicional sobre a isolação.

Neste caso, temos os modelos de cabos unipolares Sintenax, Sintenax Flex, GSette Easy, Voltalene, Voltanax e Afumex Flex.

Tabela de cabos multipolares da Prysmian

Os cabos multipolares são constituídos por vários condutores isolados.

Geralmente eles possuem dois, três, quatro ou cinco condutores agrupados.

Além disso, eles também possuem uma cobertura sobre o conjunto dos condutores isolados.

Neste caso, temos os modelos de cabos multipolares Sintenax, Sintenax Flex, GSette Easy, Voltalene, Voltenax e Afumex Flex.

Neste caso, as tabelas que serão mostradas a partir de agora serão baseadas nos modelos de cabos elétricos da Prysmian para condutores de cobre e alumínio.

Mas é importante observar as orientações abaixo, confira.

Como funciona a tabela de cabos da Prysmian

Na tabela abaixo é possível visualizar um resumo da tabela de cabos da Prysmian para instalações elétricas de baixa tensão, confira.

Tabela de cabos Prysmian mais comuns para baixa tensão e de até 1kV

Outro detalhe importante antes de visualizar as tabelas para dimensionamento de cabos que veremos ao longo desse artigo é que será possível visualizar várias tabelas de cabos e condutores de alumínio.

Mas é muito importante seguir as orientações abaixo, confira.

Tabela de cabos com condutor de alumínio

Neste caso, segundo a norma NBR 5410, esse tipo de condutor de alumínio deve ser proibido para os tipos de instalações abaixo, confira.

Instalações elétricas industriais

De acordo com a norma NBR 5410, o condutor de alumínio deve ser proibido quando a instalação não for alimentada diretamente por subestação de transformação ou transformador.

Seja a partir de uma rede de alta tensão, ou se possua uma fonte própria.

Além disso, segundo a NBR 5410, esse tipo de condutor deve ser proibido se a seção nominal dos condutores for inferior a 16 mm².

E também deve ser proibido em instalações industriais onde a instalação e a manutenção não forem realizadas por pessoas qualificadas, seja ela um engenheiro ou um técnico.

Instalações elétricas comerciais

De acordo com a norma NBR 5410, o condutor de alumínio deve ser proibido se os locais não forem exclusivamente BD.

Ou seja, se não forem de baixa densidade de ocupação, percurso de fuga breve e altura inferior a 28 metros.

Ou também se a seção nominal dos condutores for inferior a 50 mm².

Além disso, o condutor de alumínio em instalações comerciais deve ser proibido se a instalação e a manutenção não forem realizadas por pessoas qualificadas.

Neste caso, estamos falando de profissionais como técnicos e engenheiros.

Instalações elétricas residenciais

No caso de instalações elétricas residenciais, a norma NBR 5410 diz que não é permitido esse tipo de condutor de alumínio em nenhuma hipótese de instalação.

Instalações elétricas públicas

Segundo a norma NBR 5410, o condutor de alumínio não deve ser usado em instalações elétricas públicas com alta densidade de ocupação.

Neste caso estamos falando especificamente de locais BD4.

Estes são locais com alta densidade de ocupação e percurso de fuga longo.

Depois de seguir todas as orientações da norma NBR 5410, então vamos verificar as tabelas de cabos, confira.

Tabela de cabos com dimensionamento pela seção mínima

Essa tabela de cabos com dimensionamento pela seção mínima é muito importante.

Isso acontece porque a norma NBR 5410 diz que a seção dos condutores deve ser determinada de forma que sejam atendidos, no mínimo, todos os seguintes critérios abaixo:

  • Passo 1: a seção mínima conforme 6.2.6;
  • Passo 2: a capacidade de condução de corrente de acordo com 6.2.5;
  • Passo 3: a queda de tensão conforme 6.2.7;
  • Passo 4: o curto-circuito de acordo com 5.3.5;
  • Passo 5: a sobrecarga conforme 5.3.4;
  • Passo 6: a proteção contra choques elétricos de acordo com 5.1.2.2.4.

Então vamos começar pela tabela de cabos com seção mínima dos condutores de fase, confira abaixo.

Tabela de cabos com seção mínima dos condutores de fase

Na imagem abaixo é possível visualizar a tabela de cabos com seção mínima dos condutores de fase, confira.

Tabela de cabos com seção minima do condutor de fase

Na imagem acima é possível visualizar que as seções mínimas foram ditadas por razões mecânicas.

Além disso, os circuitos de tomadas de corrente são considerados circuitos de força.

Outro detalhe é que em circuitos de sinalização e controle destinados a equipamentos eletrônicos é admitida uma seção mínima de 0,1 mm².

E por último, em cabos multipolares flexíveis contendo sete ou mais veias é admitida uma seção mínima de 0,1 mm².

Essa tabela é usada tanto para condutores de fase em circuitos CA e dos condutores vivos em circuitos CC.

Sendo para instalações fixas conforme o item 6.2.6.1 da norma NBR 5410.

Agora vamos mostrar a tabela de cabos para seção mínima para o condutor neutro, confira abaixo.

Tabela de cabos com seção mínima do condutor neutro

Na imagem abaixo é possível visualizar a tabela de cabos com seção mínima para o condutor neutro, confira.

Tabela de cabos com seção minima do condutor neutro

Neste caso, o condutor neutro deve ter a mesma seção do condutor de fase.

Observe que caso o circuito seja trifásico equilibrado com neutro.

E se os condutores de fase e neutro também forem constituídos do mesmo metal.

E se o condutor neutro for protegido contra sobrecorrentes.

Então a seção do condutor neutro pode ser menor que a dos condutores de fase, conforme a tabela acima.

Outro detalhe importante é que se a taxa de terceira harmônica e seus múltiplos for menor ou igual a 15%.

Então devem ser consideradas as prescrições acima..

Mas se a taxa de terceira harmônica e seus múltiplos for superior a 15%.

Então deve ser considerado analisar a seção 6.2.6.2 da norma NBR 5410.

E caso a norma NBR 5410 não atenda aos requisitos ou for considerada omissa, então deve ser considerada a norma IEC 60364-5-52:2009 na seção 524.2.

Agora vamos conferir a tabela de cabos para seção mínima para o condutor de proteção, confira abaixo.

Tabela de cabos com seção mínima do condutor de proteção

Neste caso, é importante observar se o metal de que é feito o condutor de proteção será o mesmo de que são feitos os condutores de fase.

Caso seja o mesmo, então na imagem abaixo é possível visualizar a tabela de cabos que será usada com seção mínima para o condutor de proteção, confira.

Tabela de cabos com seção minima do condutor de proteção

Observe que na imagem acima para um condutor PEN.

Ou seja, o condutor que possui as funções de neutro e proteção que são combinadas em um único condutor.

Neste caso, a redução da seção do condutor só será permitida nos casos em que não contrariar as regras do próprio dimensionamento do condutor neutro

Outro detalhe importante…

É que em casos onde a aplicação da tabela anterior conduz para seções de condutores que não são padronizadas.

Então neste caso, nós devemos escolher os condutores que possuem a seção padronizada mais próxima.

Além disso, você precisa observar atentamente a seção do condutor de proteção que não faz parte do mesmo cabo.

Ou em casos onde não esteja contido no mesmo conduto fechado que os condutores de fase.

Neste caso, eles não devem ser inferior a 2,5 mm² em cobre ou 16 mm² em alumínio se for provida proteção contra danos mecânicos.

E também não deve ser inferior a 4 mm² em cobre ou 16 mm² em alumínio se não for provida proteção contra danos mecânicos.

Uma dica interessante seria analisar os critérios de cálculo da seção do condutor de proteção que estão em “Dimensionamento pela corrente de curto-circuito”.

Orientações finais sobre a tabela de cabos com seções mínimas

Isso acontece porque a norma NBR 5410 diz que a seção dos condutores deve ser determinada de forma que sejam atendidos, no mínimo, todos os seguintes critérios abaixo:

Observe que ao adotar todos os critérios de seção mínima de condutores conforme a norma NBR 5410 é importante destacar que.

A seção do condutor que será adotada deve ser a maior dentre as obtidas em cada um dos critérios.

Além disso, dependendo das condições de dimensionamento se houver mais cabos por fase.

Então deve-se verificar as considerações abordadas no final da norma NBR 5410 sobre as posições físicas dos cabos e condutores.

Agora o nosso próximo passo é mostrar as tabelas de capacidade de condução de corrente, confira abaixo.

Tabela de cabos com capacidade de condução de corrente

No exemplo anterior nós mostramos a tabela de cabos e explicamos sobre os critérios usados pela norma NBR 5410 para determinar a seção mínima dos condutores.

Isso acontece porque a norma NBR 5410 diz que a seção dos condutores deve ser determinada de forma que sejam atendidos, no mínimo, todos os seguintes critérios abaixo:

  • Passo 1: a seção mínima conforme 6.2.6;
  • Passo 2: a capacidade de condução de corrente de acordo com 6.2.5;
  • Passo 3: a queda de tensão conforme 6.2.7;
  • Passo 4: o curto-circuito de acordo com 5.3.5;
  • Passo 5: a sobrecarga conforme 5.3.4;
  • Passo 6: a proteção contra choques elétricos de acordo com 5.1.2.2.4.

Agora nós vamos mostrar as tabelas usadas no segundo passo e explicar cada uma delas, confira abaixo.

Mas antes de mostrar a tabela de capacidade de  condução de corrente, é importante destacar a tabela de métodos de instalação.

Tabela de cabos com métodos de instalação

Na imagem abaixo é possível visualizar a tabela de cabos com os métodos de instalação, o tipo de linha elétrica e os tipos de condutores Prysmian, confira.

Tabela de cabos com métodos de instalação

Na imagem abaixo é possível visualizar a continuação da tabela de cabos com os métodos de instalação, os tipos de linha elétrica e os tipos de condutores Prysmian, confira.

Tabela de cabos com método de instalação

Observe nas imagens acima que nós destacamos os métodos de instalação conforme os tipos de condutores da Prysmian que estaremos citando ao longo deste artigo.

Observações sobre a tabela de cabos com os métodos de instalação

Neste caso, os locais da tabela de cabos que estão marcados (-) significam que os cabos correspondentes não podem, de acordo com a NBR 5410/1997, ser instalados na maneira especificada.

Ou podemos dizer que se trata de uma maneira de instalar não usual para o tipo de cabo escolhido.

Outro detalhe importante é que a coluna método de instalação é baseada na tabela 33 da NBR 5410.

Além disso, na terceira marcação que faz referência à “afastado da parede ou suspenso por cabo de suporte”, a  distância entre o cabo e a parede ≥ 0,3 diâmetro externo do cabo.

E na quarta marcação na tabela, que faz referência a “fixação direta a parede ou teto”, temos que a distância entre o cabo e a parede < 0,3 diâmetro externo do cabo.

E na quinta marcação na tabela, temos que o “eletroduto em canaleta fechada – 1,5De ≤ V < 20De” e também em “eletroduto em canaleta fechada – V ≥ 20De”.

Neste caso acima, temos que o valor de V será a altura do espaço de construção ou da canaleta / De = diâmetro externo do cabo. 

Sobre os métodos de instalação da tabela de cabos

Na tabela acima você consegue visualizar que os métodos de instalação foram representados por letras acompanhadas de números conforme a norma.

E geralmente o método de instalação mais utilizado em residência é o método de instalação B1 sendo para eletroduto embutido em alvenaria.

Mas é importante destacar algumas orientações abaixo, confira.

No caso da tabela acima, é possível destacar que nos métodos A1 e A2, a parede é formada por uma face externa estanque.

Além de uma isolação térmica e uma face interna em madeira ou material análogo com condutância térmica de, no mínimo, 10 W/K m². 

E neste caso, podemos dizer que o eletroduto, metálico ou de plástico, é fixado junto à face interna (sem ter, necessariamente, contato físico com ela). 

Em seguida, também temos na tabela os métodos B1 e B2.

Neste caso, o eletroduto que seja metálico ou de plástico, é montado sobre uma parede de madeira.

Sendo que a distância entre o eletroduto e a superfície da parede inferior a 0,3 vez o diâmetro do eletroduto.

No método de instalação C, a distância entre o cabo multipolar ou qualquer cabo unipolar, e a parede de madeira é inferior a 0,3 vez o diâmetro do cabo.

E no método de instalação D, o cabo é instalado em eletroduto (seja metálico, de plástico ou de barro).

Neste caso ele é enterrado em solo com resistividade térmica de 2,5 K.m/W, a uma profundidade de 0,7 m.

E nos métodos de instalação E, F e G, é importante destacar a distância entre o cabo multipolar ou qualquer cabo unipolar e qualquer superfície adjacente.

Neste caso a distância será de no mínimo o valor de 0,3 vez o diâmetro externo do cabo, para o cabo multipolar.

Ou , no mínimo, uma vez o diâmetro do cabo para os cabos unipolares.

E por último, no método G de instalação, devemos destacar que o espaçamento entre os cabos unipolares é de, no mínimo, uma vez o diâmetro externo do cabo.

Depois de explicar os métodos de instalação para condutores, então vamos conferir as tabelas de cabos com capacidade de condução de corrente da norma NBR 5410, confira.

Tabela de cabos com capacidade de condução de corrente conforme tabela 36

Na imagem abaixo é possível visualizar a tabela 36 da norma NBR 5410 de capacidade de condução de corrente em ampères.

E com os métodos de referência A1, A2, B1, B2, C e D que explicamos acima, confira.

Tabela de cabos de alumínio com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 36 da NBR 5410

Essa tabela acima é usada para condutores de cobre com isolação de PVC ou LSHF/A, com temperatura no condutor de 70ºC e temperatura ambiente de 30 ºC (ao ar) e 20 ºC (solo).

E na tabela abaixo temos a continuação da tabela 36 da norma NBR 5410, mas para condutores de alumínio, confira abaixo.

Tabela de cabos de alumínio com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 36 da NBR 5410

Por isso, essas tabelas acima e suas características são compatíveis com os tipos de condutores Prysmian mais comuns.

Como por exemplo os modelos Superastic, Superastic Flex, Sintenax, Sintenax Flex e Afumex Green que iremos citar ao longo deste artigo.

Orientações sobre a tabela 36 da norma NBR 5410

Mas antes de finalizar essa explicação sobre a tabela 36 da norma NBR 5410, é importante destacar que as todas as tabelas de capacidades de condução de corrente deste artigo serão conforme a norma NBR 5410.

Além disso, elas se referem ao funcionamento contínuo em regime permanente, fator de carga 100%.

Elas também são usadas em corrente contínua ou em corrente alternada com frequência de 50 Hz ou 60 Hz.

E também para condutores isolados (450/750V) e cabos unipolares/multipolares (0,6/1kV) com classes de encordoamento 1, 2 e 5.

Além disso, devemos destacar que os valores disponíveis nas tabelas são aproximados, com precisão razoável, e são dados para os tipos mais comuns de instalação.

Mas caso haja valores não tabelados ou que não possam ser corrigidos pelos fatores de correção dados.

Ou se for necessário um maior índice de precisão, então devem ser calculados e utilizando a série de normas IEC 60287.

Agora nós vamos conhecer a tabela 37 da norma NBR 5410 para outros tipos de condutores, confira.

Tabela de cabos com capacidade de condução de corrente conforme tabela 37

Na imagem abaixo é possível visualizar a tabela 37 da norma NBR 5410 de capacidade de condução de corrente em ampères com os métodos de referência A1, A2, B1, B2, C e D.

Tabela de cabos de cobre com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 37 da NBR 5410

Essa tabela acima é usada para condutores de cobre com isolação de EPR/HEPR ou XLPE com temperatura no condutor de 90 ºC e temperatura ambiente de 30 ºC (ao ar) e 20 ºC (solo).

E na tabela abaixo temos a continuação da tabela 37 da norma NBR 5410, mas para condutores de alumínio, confira abaixo.

Tabela de cabos de alumínio com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 37 da NBR 5410

Por isso, essas tabelas acima e suas características são compatíveis com os tipos de condutores Prysmian abaixo.

Tabela de cabos Prysmian para instalações elétricas de baixa tensão

Neste caso específico, estamos falando dos modelos GSette Easy, Voltalene, Voltenax e Afumex Flex que iremos citar ao longo deste artigo.

Agora nós vamos conhecer a tabela 38 da norma NBR 5410 para outros tipos de condutores, confira.

Tabela de cabos com capacidade de condução de corrente conforme tabela 38

Na imagem abaixo é possível visualizar a tabela 38 da norma NBR 5410 de capacidade de condução de corrente em ampères com os métodos de referência E, F e G..

Tabela de cabos de cobre com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 38 da NBR 5410

Essa tabela acima é usada para condutores de cobre com isolação de PVC ou LSHF/A com temperatura no condutor de 70 ºC e temperatura ambiente de referência: 30°C.

E na tabela abaixo temos a continuação da tabela 38 da norma NBR 5410, mas para condutores de alumínio, confira abaixo.

Tabela de cabos de alumínio com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 38 da NBR 5410

E na imagem abaixo é possível visualizar a continuação da tabela de cabos para condutores de alumínio, confira.

Tabela de cabos de alumínio com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 38 da NBR 5410

Neste caso, podemos citar os condutores da Prysmian que são compatíveis como os modelos Superastic, Superastic Flex, Sintenax, Sintenax Flex e Afumex Green

Ou, ainda, condutores isolados quando o método de instalação permitir. 

Agora nós vamos conhecer a tabela 39 da norma NBR 5410 para outros tipos de condutores, confira.

Tabela de cabos com capacidade de condução de corrente conforme tabela 39

Na imagem abaixo é possível visualizar a tabela 39 da norma NBR 5410 de capacidade de condução de corrente em ampères com os métodos de referência E, F e G..

Tabela de cabos de cobre com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 39 da NBR 5410

E também na imagem abaixo é possível visualizar a continuação da tabela 39 da norma NBR 5410 para condutores de cobre, confira.

Tabela de cabos de cobre com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 39 da NBR 5410

Essas duas tabelas acima são usadas para condutores de cobre com isolação de EPR/HEPR ou XLPE com temperatura no condutor de 90 ºC e temperatura ambiente de referência de 30°C.

E na tabela abaixo temos a continuação da tabela 39 da norma NBR 5410, mas para condutores de alumínio, confira abaixo.

Tabela de cabos de alumínio com capacidade de condução de corrente conforme a tabela 39 da NBR 5410

Antes de finalizar é importante destacar que essa tabela também pode ser usada para condutores isolados quando o método de instalação permitir.

Neste caso, podemos citar os condutores da Prysmian que são compatíveis com essa tabela de cabos que são os modelos GSette Easy, Voltalene, Voltenax e Afumex Flex

Agora nós vamos conhecer a tabela 39 da norma NBR 5410 para outros tipos de condutores, confira.

Tabelas de cabos restantes

Como dissemos no início deste artigo, o nosso objetivo é mostrar os 80 tipos de tabelas usadas para o dimensionamento de cabos e condutores conforme a norma NBR 5410.

Mas dependendo da sua conexão com a internet, isso poderia atrasar o carregamento das imagens.

Além disso, esse artigo ficou muito extenso e também atingiu o nosso limite esperado para uma leitura mais agradável.

Por isso, este artigo será dividido em várias partes para facilitar o entendimento e o carregamento das tabelas de cabos.

Acesse esse link para conferir a segunda parte deste artigo com o restante das tabelas de cabos e condutores da norma NBR 5410.

Outro detalhe importante é que esse artigo foi baseado no guia de dimensionamento de cabos elétricos de baixa tensão publicado pela Prysmian.

E se você tiver alguma dúvida ou quiser baixar este guia, acesse o site da Prysmian para saber mais.